Brincando com meu mano

Posted by Luíza Saggiorato Cordeiro | Posted in

Então que enfim, depois de um ano e meio, brincar com meu mano começa a ser parte do meu dia-a-dia.
Quando ele nasceu - isso deve ser a decepção de toda(o) irmã(ão) mais velha(o) - e chegou em casa vieram com aquele papo: "Ele ainda é bebezinho e vai demorar um pouco para poder brincar com ele". Hunf!!!
Um pouco?!?!? Se isso é pouco, imagina o que é muito hehehe
Bem, então a gente, irmão mais velho cheio de paciência e esperança, vai esperando e o bebê vai crescendo, aí aprende a sentar, a dar risadinhas, a falar nenenês, a puxar os cabelos da gente, a gatinhar (hum... começa a fica mais divertido), a andar (mas aí eles são meio bambas e a gente tem que cuidar para não derrubar) e, um belo dia, ele está correndo junto com você, subindo no sofá, se atirando no chão com você, tentando pular na cama da mamãe e do papai com você.
Conseguem saber quem é quem na fotinho? :D

Enfim... você vira o ídolo do seu mano ou mana, tudo que você fizer, ele ou ela vai querer fazer igual e sua mãe e seu pai vão quase enlouquecer, mas também vão se divertir muito e amar vocês ainda mais, pela bela relação de irmãos que aquela aventura de ter dois (ou mais) filhos resultou. Um amor entre irmãos que vai durar a vida toda, uma cumplicidade que nada no mundo vai apagar, porque ter irmãos é nunca estar sozinho e ter sempre um porto seguro, uma referência.
Mamãe tem dois irmãos e uma irmã e adora tê-los em sua vida. Adora a bagunça dos almoços em família, daquela mesa cheia, de poder olhar em cada um e achar um pouco de si e saber que nela existe um pouco de cada um deles. E que todos eles, juntos, são a maior realização da sua mãe e do seu pai.
É por isso que mamãe sempre quis ter mais de um filho e sempre diz que se, e somente se, ganhar na mega quem sabe a fábrica reabra heheh