Voltamos

1

Posted by Luíza Saggiorato Cordeiro | Posted in

E então, depois de praticamente uma semana, voltamos para casa. Sabe voltar para casa é tudo bom, mas voltar da casa das vovós dá uma certa nostalgia. É que em casa de vó póóódi quase tudo, ver novela, dormir tarde, comer besteiras, brincar, brincar, conviver com primos e primas, tios e tias, bisavó. Ou seja, todo dia é sábado ou domingo. O que na verdade tanto faz, cada um escolhe o que gostar mais.
Ficamos super na boa, nos dividindo entre as casas das vovós. Nos comportamos super bem, ganhamos muitos elogios e a alegria foi garantida para todo mundo. Também, mesmo que não tenhamos sido tãoooo comportados assim, elas é que não iam nos entregar, né? Afinal, vó é vó ;)
A vovó Janira levou o mano cortar o cabelo, que estava grandão, ele ficou ainda mais lindão. Ganhou muitos elogios do cabeleireiro pelo bom comportamento.
Papai e mamãe, apesar da saudade imensa, tão imensa quanto o universo, também aproveitaram para descansar, recarregar e namorar, que bobos eles não são, né?
A volta foi por conta do vovô Justino de piloto e vovó Janira de co-pilota-babá-recreacionista. É porque na volta o mano mostrou a que veio e deu seu showzinho ;)
Chegamos e ficamos esperando papai e mamãe na casa do meu dindo, onde aproveitamos para dar uma brincadinha com o primo Arthur.
Papai e mamãe saíram do trabalho e foram voando, na velocidade que o engarrafamento permitiu, nos encontrar. O encontro foi uma alegria só, estávamos no quarto do primo e viemos correndo para os braços da mamãe e do papai. Maninho veio gritando: "Ah! Mamãe!"
Deste momento em diante o mano colou, literalmente na mamãe, foi até no banheiro com ela.
Quando chegamos em casa, tinha gelatina e bolinhos (cupcakes) de chocolate com cobertura feitos com todo amor e carinho para a gente.
Ainda tomamos banho antes de cair na cama. Coisa a boa a caminha da gente ;)
No dia seguinte, tudo voltou a normalidade, muvuca, barulho e muita alegria. Voltamos para a escola na boa, nem o maninho fez ceninha para ficar. Também a semana está ótima, muito sol, temperaturas amenas, então todo mundo fica no pátio brincando e curtindo esse clima de primavera.

Nós em PF ;)

2

Posted by Luíza Saggiorato Cordeiro | Posted in

É isso aí! Eu e meu mano fizemos nossas malas, pegamos e bus e fomos visitar a galera de Passo Fundo. Que acharam? Isso é que é independência hehe
Ok! Vou falar a verdade... É que vovô Jair e vovó Ione foram nos visitar neste findi. Então, depois de vários pedidos do vovô Jair, da vovó Ione e o aval do Papai, a mamãe liberou nossa vinda, solitos e bem acompanhados, para Passo Fundo.
Ah! E também foi a mamãe que arrumou as malas, claro que ajudei (um pouquinho) e cá estamos nós. Fizemos um pit-stop em Lajeado, ver a tia-vó Marilu e o tio-vô Edinho e esticar o corpinho.
A viagem foi ótima! O mano, que normalmente apronta com o papai e a mamãe, se comportou nota 10. Só para contrariar, né?
Assim que chegamos fomos matar a saudade da vovó Janira e da tia Jú. Agora eu estou aqui e o mano foi dormir na casa da vovó Ione. Sabe... elas nos amam, mas nós dois juntos é moleza não.
Mamãe já ligou cá e lá para saber da gente, fica lá cheia de saudade, mãe é mãe, mas também fica feliz porque estamos aqui curtindo a família.

Feliz Dia do Pais!

1

Posted by Luíza Saggiorato Cordeiro | Posted in

Ontem, domingão beeeemm chuvoso, foi o Dia do Pais 2009. Mais um ano comemorando com meu papai queridão esta data tão especial. Os planos originais eram ir a Passo Fundo para que papai e mamãe também pudessem abraçar pessoalmente os pais deles, mas alguns imprevistos somados a coisa toda dessa nova gripe nos fizeram ficar por aqui mesmo. Fica para o próximo ano vovôs ;)
O domingão foi em casa mesmo, curtido papai, mamãe, a nossa casinha e todos (literalmente todos) os nossos brinquedos. Mega-super confusão na sacada-quarto-de-brincar.
Mas o que eu queria dizer, em meu nome e em nome do mano, é que não há presente que a gente dê a você papai que possa representar o grande amor que sentimos por você. Sabemos que roubamos legal a mamãe de você e "que quase que" monopolizamos 100% do tempo dela em casa, "modique" quando "devolvemos" ela no final do dia ela já está mais "pra-lá-do-que-pra-cá" :D
Mas ser pai é isso, né? É acima de tudo aprender a dividir, ficando com a menor parte, e mesmo assim amar incondicionalmente aqueles serzinhos lindos, fofos, sapecas, por hora uns docinhos, por outro uns chiliquetinhos, que passam a habitar sua vida desde que aquele exame diz: "Positivo".
E papai, assim ó, mesmo que a gente chame mais a mamãe e fique mais grudados nela, em hipótese alguma isso quer dizer que a amamos mais, certo? Agora a verdade sobre esse fato não podemos revelar, porque queimaria nosso filme com a mamãe hehehe
Enfim... PAPAI, TE AMAMOS!

Brincando com meu mano

1

Posted by Luíza Saggiorato Cordeiro | Posted in

Então que enfim, depois de um ano e meio, brincar com meu mano começa a ser parte do meu dia-a-dia.
Quando ele nasceu - isso deve ser a decepção de toda(o) irmã(ão) mais velha(o) - e chegou em casa vieram com aquele papo: "Ele ainda é bebezinho e vai demorar um pouco para poder brincar com ele". Hunf!!!
Um pouco?!?!? Se isso é pouco, imagina o que é muito hehehe
Bem, então a gente, irmão mais velho cheio de paciência e esperança, vai esperando e o bebê vai crescendo, aí aprende a sentar, a dar risadinhas, a falar nenenês, a puxar os cabelos da gente, a gatinhar (hum... começa a fica mais divertido), a andar (mas aí eles são meio bambas e a gente tem que cuidar para não derrubar) e, um belo dia, ele está correndo junto com você, subindo no sofá, se atirando no chão com você, tentando pular na cama da mamãe e do papai com você.
Conseguem saber quem é quem na fotinho? :D

Enfim... você vira o ídolo do seu mano ou mana, tudo que você fizer, ele ou ela vai querer fazer igual e sua mãe e seu pai vão quase enlouquecer, mas também vão se divertir muito e amar vocês ainda mais, pela bela relação de irmãos que aquela aventura de ter dois (ou mais) filhos resultou. Um amor entre irmãos que vai durar a vida toda, uma cumplicidade que nada no mundo vai apagar, porque ter irmãos é nunca estar sozinho e ter sempre um porto seguro, uma referência.
Mamãe tem dois irmãos e uma irmã e adora tê-los em sua vida. Adora a bagunça dos almoços em família, daquela mesa cheia, de poder olhar em cada um e achar um pouco de si e saber que nela existe um pouco de cada um deles. E que todos eles, juntos, são a maior realização da sua mãe e do seu pai.
É por isso que mamãe sempre quis ter mais de um filho e sempre diz que se, e somente se, ganhar na mega quem sabe a fábrica reabra heheh